domingo, 16 de setembro de 2012

Empresas confirmaram interesse no TAV


Quatro empresas estrangeiras confirmaram interesse em participar da primeira fase do leilão do trem-bala brasileiro, prevista para 29 de maio do ano que vem.
A japonesa Mitsui, a francesa Alstom, a canadense Bombardier e a espanhola CAF já estão se movimentando para fornecer a tecnologia e operar o sistema que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro.
O diretor da Mitsui no Brasil, Kazuhisa Ota, disse que a empresa está formando um consórcio com outras grandes companhias japonesas, como Toshiba, Hitachi e Mitsubishi Heavy Industries -que lideraria a parte tecnológica do grupo.
Para o executivo, a mudança no modelo da licitação, que separou a operação da infraestrutura do TAV (Trem de Alta Velocidade), foi bem-vinda.
Agora, diz Ota, empresas estrangeiras que detêm a tecnologia ficam menos expostas aos riscos da obra civil do projeto. "Essa modelagem nova resolve muita coisa, facilita as coisas." "O risco da construção civil foi eliminado porque o governo assumiu o risco", disse o diretor-presidente da CAF no Brasil, Paulo Fontenele. "Estamos vendo [o leilão] com muita serenidade."
A CAF e a também espanhola Renfe formarão consórcio para participar da primeira fase da disputa. "Estamos trabalhando, nossos estudos estão prontos. Estamos montando um consórcio a partir da Espanha", disse Fontenele. O grupo espanhol deverá ter também parceiros brasileiros.
Segundo o diretor-presidente da empresa no país, todo o material rodante a ser utilizado, caso o consórcio seja o vencedor, será fornecido pela CAF, que já possui uma fábrica de vagões em Hortolândia (a 109 km de São Paulo). "Queremos fabricar em Hortolândia e já estamos estudando a ampliação da fábrica."
A francesa Alstom informou, por meio de nota, que há uma equipe "totalmente dedicada a analisar todo o pacote das condições, a fim de ter um posicionamento preciso sobre o projeto".
"A Alstom tem intenção de seguir na sua parceria com a operadora nacional francesa SNCF e, neste âmbito, Alstom e SNCF reafirmam o interesse no projeto", diz o comunicado. "[Alstom e SNCF] vão continuar discutindo com todas as partes interessadas a fim de ajudar a trazer a tecnologia de trens de alta velocidade para o Brasil."
trem bala 7 Trem Bala: Os mais velozes do mundo
Outra companhia estrangeira de olho no leilão é a canadense Bombardier, que acompanha "o processo de perto há alguns anos". A empresa canadense diz que, "quando a hora certa chegar, anunciará o modelo da possível participação"
Para a Bombardier, o TAV que ligará os dois maiores centros urbanos brasileiros é essencial para o desenvolvimento econômico e social da região. A empresa avalia que o acesso entre Rio e São Paulo chegou ao limite pelos meios de transporte disponíveis. Fonte: Economia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...