sexta-feira, 28 de junho de 2013

Governo muda projeto e o Trem de Alta Velocidade agora será obra pública

O governo federal alterou as regras de concessão do projeto do trem-bala, em resposta a críticas que ganharam força com a recente onda de protestos em todo o país. A intenção é reduzir a possibilidade de uso de dinheiro do Orçamento no projeto.

A estimativa atual é que o projeto custe R$ 35 bilhões (valores de 2007).
A construção e a administração da linha e das estações não serão mais concedidas à iniciativa privada, como estava previsto para ocorrer em 2014. Os 511 quilômetros de linha, com suas pontes e túneis, serão objetos de uma licitação de obra pública, dividida em cerca de dez lotes. 


high-speed railway,Shanghai,China

Pelo modelo anterior, a empresa que vencesse a concessão receberia o pagamento pelo serviço ao longo de 35 anos, após ter construído a linha e as estações, e poderia fazer a exploração imobiliária da estação e arredores. O dinheiro usado pelo governo para pagar a obra seria levantado com parte do pagamento das passagens cobradas dos usuários.

PAGAMENTO ADIANTADO

Pelo novo modelo, o governo pagará pela obra antes da operação do trem.
Para isso, pretende ir ao mercado bancário para antecipar o recebimento previsto das passagens.
Outra parte do pagamento virá da exploração do potencial imobiliário.
A intenção do governo é firmar acordo com as prefeituras das sete cidades que terão estações para que, juntos, vendam o direito de exploração comercial das estações.

Como isso será feito depois que o trem estiver pronto, a avaliação é que governo ganhará mais.
Outra vantagem apresentada pelo presidente da EPL (Empresa de Planejamento e Logística), Bernardo Figueiredo, é que a obra pública poderá ter uma estimativa de preço mais baixa que a de uma concessão.

Essa lógica é completamente oposta à que o governo apresentava até 2011, quando tentou leiloar o trem-bala sem sucesso.

Naquela época, o argumento dos técnicos era que a concessão seria mais vantajosa porque uma obra pública não ficaria pronta em prazo adequado e poderia ter seus orçamentos estourados, o que é praxe nas grandes obras de governo no país.

O novo modelo é mais próximo do que defendiam grandes empreiteiras nacionais, a quem o governo responsabilizou pelo fracasso do leilão anterior. Elas alegavam que não poderiam assumir o risco de um projeto tão complexo e que ele deveria ser feito como obra pública.

Ao apresentar o novo modelo do trem de alta velocidade, Figueiredo argumentou que ele reduz a possibilidade de gasto orçamentário.
O presidente da EPL rebateu as críticas, apresentadas pela oposição, de que o trem-bala será feito às custas de obras de transporte urbano, como metrôs.
"Nossa intenção é fazer esse projeto com dinheiro do Orçamento próximo de zero", afirmou Figueiredo.

A falta de obras nas cidades não decorre, segundo ele, da falta de recursos, mas da ausência de um número suficiente de projetos. 
Fonte: Folha de S. Paulo

terça-feira, 25 de junho de 2013

O Trem de Alta Velocidade na Espanha - O Pássaro

Em 20 de fevereiro de 2008 foi uma data em que passou para a história no transporte de trem na Espanha. Naquele dia, a Renfe alta velocidade Ave lançou entre as duas províncias mais populosas da Espanha, Madrid e Barcelona. 

Esta linha de Renfe é uma realidade que oferece a possibilidade de viajar entre as duas capitais em duas horas e 38 minutos, em uma base diária aumentou para 52 trens, 26 em cada sentido. Durante o seu primeiro ano de vida, mais de 5,8 milhões de passageiros viajaram em Madrid-Guadalajara-Zaragoza-Lérida-Tarra -gona Barcelona, ​​e 2,3 milhões tenham gostado da velocidade, praticidade, segurança e oportunidade de viajar para a Renfe Ave entre Barcelona e Madrid.


Esta progressão continuou em seu segundo ano, graças à resposta esmagadora da conveniência pública e velocidade da viagem entre as duas cidades com a Renfe. Com este vídeo você vai ver, mais uma vez, que com a Renfe, qualquer viagem de trem é oportunidade de desfrutar de transportes eficiente, sustentável, rápido, seguro, confortável e pontual.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Empresas estrangeiras aumentam interesse pelo Trem de Alta Velocidade no Brasil

O presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, disse nesta sexta-feira que o interesse de grupos estrangeiros pela concessão do Trem de Alta Velocidade (TAV) - que ligará Campinas a São Paulo e o Rio de Janeiro - está aumentando.

O governo manteve para setembro a previsão de leilão da operação do trem bala. "O interesse está aumentando. Ajuda o fato dos países detentores dessa tecnologia terem estimulado suas empresas a participarem. O valor estratégico do Brasil e desse empreendimento aqui é muito grande, e isso melhora o ambiente a favor do TAV", completou.



No caso das concessões de ferrovias, todos os editais devem ser publicados até dezembro. O edital do primeiro trecho, entre Açailândia (MA) e Porto de Vila do Conde (PA), deve sair até 20 de agosto. Segundo Figueiredo, os leilões das ferrovias também devem ser fatiados em etapas. Fonte: Agência Estado

sábado, 15 de junho de 2013

Trem de Alta Velocidade alguns candidatos para o Brasil

Com a proximidade do edital para escolha da empresa que operará o trem de alta velocidade no Brasil e consequentemente com a transferência de tecnologia, teremos alguns fortes candidatos que já operam com excelência no mundo.

Temos no páreo algumas empresas de diversas nacionalidades que já demonstraram interesse em participar do Leilão, temos os franceses, espanhóis, japoneses, coreanos entre outros.

Veja nas fotos abaixo possíveis modelos de trens de alta velocidade que possam operar no Brasil:


Com a implantação do Trem Bala, o Brasil está prestes a entrar na elite dos países que podem contar com o Trem de Alta Velocidade, seu deslocamento em média de 300/350 km/h, ligará as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas. Veja o traçado abaixo.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Trem de Alta Velocidade ICE - Alemanha

Os trens de alta velocidade da Europa, o alemão ICE (InterCity Express),  combina velocidade, segurança, design avançado, interiores confortáveis. Hoje é o trem de alta velocidade que liga as principais cidades da Alemanha.


O ICE Alemão corre pela Europa juntamente com outros trens de alta velocidade como o TGV, AVE entre outros trens de altíssima qualidade.

Sua média de velocidade chega a 300 km/h, ele liga algumas cidades e países na Europa com pontualidade muito conforto para os passageiros.



Provavelmente o Brasil utilizará o AGV Alstom caso a francesa seja vencedora

Caso a empresa francesa Alstom vença o leilão do Trem de Alta Velocidade que ligará as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas muito provavelmente utilizará seu trem AGV, Automotriz de Grande Velocidade.

A empresa opera em toda Europa com velocidade média aproximada de 350 km/h, um dos seus modelos bateu  o recorde de velocidade alcançando 574.8 Km/h.Os parâmetros de desempenho energético e ambiental de um modo de transporte desde a concepção, e em cada momento do ciclo de um sistema ferroviário ágil e exigente.

A Alstom antecipou os desenvolvimentos tecnológicos, controle de energia, manutenção mais fácil, mas também a integração harmoniosa em áreas naturais, o que limita a pegada de faixas, as soluções "wireless" fonte de alimentação.


Eco-design pela Alstom é uma abordagem abrangente que visa reduzir o impacto ambiental dos produtos ao longo do seu ciclo de vida, desde a fabricação até a reciclagem.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Trem de Alta Velocidade - França e cidades da Europa

Existem vários tipos de trens na França prontos para transportá-lo dia e noite. A maior parte da rede francesa é operada pela SNCF.

Trens regionais e intermunicipais na França

A rede ferroviária principal na França é composta dos seguintes trens regionais e intermunicipais:
Os trens TER ligam a maioria das cidades francesas e operam serviços frequentes.
Os trens InterCité (intermunicipais) ligam as principais cidades da França.


Mapa da rede ferroviária da França
Trens internacionais de alta velocidade na França

O Eurostar liga Paris e Lille a Londres (Grã-Bretanha) pelo túnel do Canal da Mancha, e Lille a Bruxelas (Bélgica).
O Thalys liga Paris a Amsterdã (Países Baixos), Bruxelas (Bélgica), Colônia (Alemanha).
O TGV liga Paris à cidade de Luxemburgo (Luxemburgo), Lille a Bruxelas (Bélgica), Paris a Turim e Milão (Itália) e Paris a Figueres (Espanha).
O TGV Lyria liga Paris a Genebra e Zurique (Suíça).
O ICE liga Paris a Frankfurt e Munique (Alemanha).
O Talgo du Jour (Mare Nostrum) liga Montpellier a Barcelona (Espanha) e continua para o sul até Valência e Múrcia (Espanha).

Os trens de alta velocidade domésticos da França são operados pela TGV e viajam a 320 km/h (200 mph). Os trens TGV transportam passageiros de forma rápida e confortável para cidades de toda a França, inclusive de Paris a destinos populares, como Bordeaux, Lyon, Marselha e Nice.

Os trens TGV oferecem ar-condicionado, amplos bagageiros, tomadas de energia para dispositivos eletrônicos, além de bebidas e, geralmente, um vagão-restaurante.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Japoneses na disputa pelo Trem de Alta Velocidade no Brasil

A três meses da publicação do edital que revelará oficialmente as regras para assumir o projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV) que ligará Campinas, São Paulo e Rio, a japonesa Hitachi deu início a uma campanha para mostrar que entende do assunto. "A gente não pode chegar lá mais rápido?", pergunta um dos anúncios da empresa em mídia impressa, fazendo referência ao compromisso com "sistemas de transporte eficientes".


A companhia, que se considera a líder mundial nesse segmento, integra um dos consórcios que disputarão a licitação. Ela entra no negócio com o fornecimento do trem e com a gestão do sistema de transporte e passageiros. Ao lado dela estão as também japonesas Mitsui, Toshiba e Mitsubishi Heavy Industries.

O projeto é uma das apostas da empresa para colocar em prática um ambicioso plano de expansão no País: até 2015, ela pretende quadruplicar o faturamento no Brasil para US$ 1,5 bilhão.

O diretor-presidente da Hitachi no Brasil, Toshiro Iwayama, diz que a empresa já conversa com o governo sobre o trem-bala há três anos. "Eu praticamente tenho um passe para ir a Brasília." A empresa aguarda o edital para avaliar os detalhes do projeto, mas já vê que há "coisinhas" a serem consertadas. O retorno financeiro prometido, por enquanto, não parece ser alto.

A Hitachi já faz a gestão de sistemas de transporte e passageiros no Japão e no Reino Unido. No Brasil, a empresa tem trens em São Paulo (CPTM), Porto Alegre e no Rio. Os japoneses também se prepararam para participar da licitação da Linha 18 do Metrô de São Paulo, prevista para o mês que vem. Fonte: O Estado de S. Paulo

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Trem de Alta Velocidade Chinês - Design de Antigas Espadas da China

Espada de ferro
O governo da China vem trabalhando em um trem-bala capaz de atingir até 500 quilômetros por hora, tornando-se assim um dos mais rápidos do mundo.

O trem-bala, com desenho inspirado nas antigas espadas da China, é o mais novo da série CRH (China Railway High-Speed).

Com seis vagões, o conjunto tem uma potência de 22.800 quilowatts, mais do que o dobro dos 9.600 kilowatts do CRH380, que faz a linha Pequim-Xangai - e que tem um recorde de velocidade de 300 km/h.

O trem também é mais leve e mais seguro, usando várias peças reforçadas com fibra de carbono.

O trem foi projetado e fabricado pela Locomotive Sifang, uma subsidiária da China Railway Construction CSR, com sede na cidade de Qingdao, no Leste do país, na província de Shandong.

China testa trem-bala capaz de fazer 500 quilômetros por hora

quarta-feira, 5 de junho de 2013

TAV ligando São Paulo a Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Brasília.

Tendo o trem de alta velocidade TAV Rio-São Paulo-Campinas como carro-chefe da retomada ferroviária, o país encara o desafio de voltar a investir em um transporte que foi deixado de lado em nome da priorização da indústria automobilística. As montadoras começaram a ganhar força no Brasil a partir do governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961), que promoveu o modal rodoviário ao posto de principal do país.

high-speed railway,Shanghai,China

O projeto de retomada é em parte ousado e em parte conservador. De acordo com o Ministério dos Transportes, a intenção é criar uma malha de TAV ligando São Paulo a Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Brasília. Goiânia também é uma possibilidade. No entanto, somente o trecho Campinas-São Paulo-Rio está em vias de licitação. Os outros são apenas suposições.

terça-feira, 4 de junho de 2013

EPL escolhe a integradora do TAV

A Empresa de Planejamento e Logística (EPL) recebe nesta terça-feira (04/06) as propostas para a escolha da empresa que vai fazer a integração do projeto do TAV. A função dessa empresa será coordenar as ações dos consórcios vencedores dos leilões e da também da EPL.

Está prevista a realização de dois leilões. O primeiro vai escolher a empresa que vai fornecer a tecnologia e será o operador. No segundo leilão, serão escolhidas as empresas que vão construir a infraestrutura.



Segundo a assessoria da EPL empresa vencedora será anunciada entre esta terça e quarta-feira dependendo do tempo da reunião.

A escolha estava marcada anteriormente para o dia 14 de maio, mas foi adiada devido a pedidos de empresas estrangeiras interessadas na licitação que alegaram dificuldades em registrar seus documentos e, por conta disso, poderiam ficar de fora do processo. A EPL aceitou o pedido das empresas alegando que a medida garantiria mais competitividade na licitação.

sábado, 1 de junho de 2013

Trem de Alta Velocidade - Trenitalia

Trenitalia é o principal operador de trem na Itália e é de propriedade da Ferrovie dello Stato Grupo Italiane.

Trenitalia oferece transporte ferroviário em toda a Itália, incluindo serviço na Sicília e Sardenha e também ferries de Itália continental para as duas ilhas. Ele também se conecta a Áustria, Bélgica, França, Alemanha, Hungria, Eslovénia, Espanha e Suíça.

A empresa opera o ETR 500 comboios de alta velocidade e é um parceiro na rota Itália-Alemanha-Suíça Cisalpino.



Eles também operam os serviços de alta velocidade, conhecidos como 'Frecciarossa' ,'Frecciargento' e 'Frecciabianca' , funcionando regularmente entre as principais cidades de Roma Termini agindo como o centro da operação.

Há também trens interurbanos regulares que operam entre ambos os menores e as maiores cidades.

Também estão incluídos dentro da operação são trens noturnos que operam entre Roma e Milan (via Florença), entre Milão e Nápoles ou Veneza e um serviço mais ao sul na Sicília.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...