quarta-feira, 31 de julho de 2013

Trem de Alta Velocidade Frecciarossa 1000 - Itália

Projetado para velocidades de até 400 km/h, o Frecciarossa 1000 é o trem mais rápido da Europa. É um modelo avançado, adequado para um serviço de passageiros a longa distância em linhas de alta velocidade. Interoperabilidade, segurança e conforto estão entre as principais características dos trens.

Os trens Frecciarossa 1000 foram encomendados pelo operador de trens Italiano Trenitalia. Os conjuntos de trem estão sendo construídos na Itália pela Bombardier, em uma parceria com AnsaldoBreda, uma subsidiária do grupo Finmeccanica da Itália. Bertone é o designer do trem.


A primeira unidade do trem Frecciarossa 1000 será revelada na Fábrica Pistoia de AnsaldoBreda em março de 2013. A estreia mundial do novo trem será realizada na fábrica Vado Ligure em julho de 2013.

A primeira unidade do Frecciarossa 1000 estava pronta para execução de testes de homologação na linha férrea Genoa-Savona em agosto de 2013. Os novos trens de alta velocidade devem entrar em serviço com passageiros regulares na rede ferroviária italiana no início de 2015.

A Bombardier e seu parceiro de consórcio AnsaldoBreda, foram premiados com um contrato que vale € 1,54 bilhão (US$ 2,1bilhões) pela Trenitalia em setembro de 2010, para fornecer 50 unidades de trem Frecciarossa 1000. O custo por conjunto de trem é de € 30,8 milhões (US$ 40,2 milhões). A parte do contrato da Bombardier está estimada em € 652 milhões ($ 889 milhões).



O Frecciarossa 1000 é uma Unidade Elétrica Múltipla (EMU) bidirecional com 200 metros de comprimento, baseada nos projetos de trem ZEFIRO e AnsaldoBreda V250 da Bombardier. O trem com oito carros possui uma formação fixa com a tração distribuída ao longo do trem. Os truques são projetados com suspensão ativa.

O trem é equipado com motores de 16 trações que oferecem uma aceleração inicial de 0,7 m/s2.

As extremidades frontais do trem apresentam um design único que fornece uma boa aerodinâmica, além de segurança e conforto para condutores de trem. Os compartimentos eletrônicos do motorista são projetados com um conceito modular para permitir compatibilidade com os sistemas ferroviários de diferentes países Europeus.

O trem é equipado com um sistema de diagnóstico que ajuda a gerenciar melhor as irregularidades entre as condições reais do trem e o desempenho. Ele fornece informações sobre a operação de todos os sistemas a bordo, assim como aqueles de cada eixo do motor em base contínua para a equipe a bordo, a equipe de manutenção e as salas de controle de operações.
O Frecciarossa 1000 oferece alta velocidade comercial de 360 km/h, enquanto que também é um trem silencioso que cria menos barulho e contém vibrações criadas durante operações em alta velocidade.

A interoperabilidade é outra característica notável do trem Frecciarossa 1000. O projeto de material rodante permite operabilidade com as diferentes eletrificações e sistemas de sinalização na rede Europeia.

Os dispositivos de sinalização a bordo instalados no trem estão de acordo com o Sistema de Gestão de Tráfego Ferroviário Europeu (ERTMS), que permite integração de diferentes sistemas nacionais de sinalização e sistemas de Proteção Automática de Trem (ATP) na Europa. Ele oferece interoperabilidade em redes de alta velocidade incluindo a Itália, França, Alemanha, Espanha, Áustria, Suíça, Holanda e Bélgica.

O trem foi projetado com tecnologia avançada de economia de energia e possui diversos recursos sustentáveis. As ligas leves são usadas para as carcaças dos carros e elementos de mobília do trem que podem ser recuperados ao fim dos seus ciclos de vida. O trem é feito com 95% de materiais renováveis e 85% de seus materiais são recicláveis.
O Frecciarossa 1000 possui uma capacidade de 485 passageiros em quatro classes: executiva, negócios, premium e padrão. Ele possui assentos que levantam para passageiros com deficiências.

O trem possui assentos ergonômicos com luz individual equipada para cada assento. Os carros do trem possuem monitores a bordo e tomadas de energia para computadores pessoais. Serviços de bar e restaurante são oferecidos a bordo.

O compartimento executivo possui uma sala de reuniões. Nela, há 12 assentos individuais reclináveis e rotatórios que permitem que os passageiros ajustem suas posições de acordo com a direção do movimento do trem.

Os compartimentos de Negócios e Premium possuem salões. O compartimento de Negócios também possui uma área silenciosa para os passageiros que valorizam a tranquilidade durante a viagem.

Outros recursos dos vagões incluem iluminação por LED, isolamento acústico e controle climático.

O trem é equipado com conectividade Wi-Fi moderna que fornece aos passageiros acesso em tempo real à web e tecnologias multimídia
. Fonte: Railway Technology

terça-feira, 30 de julho de 2013

Acidente de trem na Espanha, maquinista diz ter ficado sem orientação

O maquinista em depoimento na Justiça da Espanha, explicou que ficou desorientado e não percebeu onde estava, quando percebeu a curva e acionou a frenagem já era tarde demais.

Penso que outros fatores contribuíram para o terrível acidente na Espanha próxima a cidade de Compostela, as composições são monitoradas pelo centro de controle operacional por GPS e outros dispositivos embarcados que poderiam para o trem automaticamente.

Por outro lado é possível que também exista mecanismo que possa inibir tais controles em caso de avaria e sempre com autorização prévia operacional.

Recomendo cautela e aguardaremos a análise da caixa preta que informará dados importantíssimos antes e na hora do acidente.

sábado, 27 de julho de 2013

Trecho do acidente na Espanha em velocidade compatível

O trecho do acidente na Espanha é em declive e em curva acentuada, em uma tomada feita em outro trem é observado velocidade reduzida e em frenagem constante.

É prudente aguardar as investigações, a leitura dos indicativos contidos no registrador de eventos (Caixa Preta), para poder verificar qual velocidade, se a frenagem foi comandada no momento certo.


A condução de uma composição ferroviária é altamente segura pois há diversos dispositivos de segurança para corrigir possível falha técnica ou humana, no menor sinal de desacordo com a segurança de tráfego é aplicado a frenagem imediatamente.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Trem de Alta Velocidade no Japão sem acidentes fatais em 46 anos de operação

O primeiro trem-bala do Japão foi inaugurado em 1º de outubro de 1964, e durante quase 2 décadas foi o mais rápido do mundo. Apesar da velocidade dos trens e dos frequentes desastres naturais que o Japão enfrenta, os trens-balas japoneses não registraram um só acidente fatal ao longo dos 46 anos de operação.

O Hayabusa começou a operar em um trajeto de 900 quilômetros, ligando Tóquio a Aomori — cidade de 300 mil habitantes no norte do país — a uma velocidade de 320 quilômetros por hora, o que o faz chegar ao destino em 3 horas.
hayabusa-bullet-train
A primeira classe é um dos ingredientes mais chamativos do novo trem. Uma passagem para desfrutar desse conforto custa 17 mil ienes, cerca de 340 reais. Para a viagem de inauguração, em um leilão na internet, o bilhete da “GranClass ” atingiu o valor de 4 mil euros. As vantagens são medidas pelo pacote de mordomias: muito espaço para o passageiro, assentos de couro, iluminação pessoal para leitura, descanso para as pernas, acesso irrestrito a refeições leves e bebidas alcoólicas, internet wi-fi e outros agrados.
GranClass: mais espaço na poltrona, assentos de couro, iluminação pessoal para leitura e descanso para as pernas, além de bebidas free

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Medidas de segurança que devem ser atendidas - Acidente na Espanha trem de alta velocidade

Transporte ferroviário é coisa séria, não é só imprimir aceleração máxima, envolve uma gama de fatores, existe um anel de segurança que caminham juntos, a abertura de um dos conjuntos que formam o anel de segurança poderá ser catastrófica, no menor sinal de ruído anormal, calo, sinalização inoperante, solavanco, deverá ser informado IMEDIATAMENTE ao CCO, e no mínimo, a restrição de velocidade naquele setor deverá ser implantada já no próximo trem que vem logo atrás, será acionado o pessoal de manutenção para verificar os riscos envolvidos e administra-los se for o caso.



Existem vários equipamentos embarcados e desembarcados detectores de anomalias e anunciadores de falhas óticas ou sonoras que conjuntamente transmitem ao piloto/maquinista que aquela situação é anormal e o trem deverá ser parado de imediato ou sua velocidade diminuída, caso esse comando não seja feito, o automatismo entrará em ação e o fará independentemente da ação do piloto/maquinista.

Um dos equipamentos restritores de velocidade estão interligados na própria roda/trilho da composição emitindo a ideal velocidade a ser seguida por trecho, caso a anormalidade for detectada o trem parará em frenagem máxima ou de emergência. Em algumas sinalizações embarcadas, as composições são monitoradas por circuitos de via, GPS entre outros dispositivos moderníssimos que evitam a sobre velocidade.



Mas existem vários fatores que possam ter ocasionado o desastre, a velocidade é uma delas, roda ou trilho com defeito, contra trilho, alguma deformidade no raio da curva entre outros fatores.

Todas as composições são equipadas com cronotaquígrafo, registrador de eventos a caixa preta propriamente dita, ela pode fazer a leitura de diversos ítens como, velocidade, ponto quilométrico, ondulação da via, frenagem entre outros inúmeros dados.

Mas mesmo com estes inesperados acidentes, o transporte ferroviário de passageiros ainda é um dos mais seguros do mundo segundo estatísticas.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Gare de Valence - França - Trem de Alta Velocidade

Gare de Valence TGV é uma estação de trem em Valence, França, que oferece serviços de TGV regulares. A estação, localizada no leste Valence, é cerca de dez quilômetros a nordeste do centro da cidade, permitindo os trens de passar a toda velocidade.

Com a sua abertura, em 2001, a estação foi consideravelmente encurtado o tempo de viagem para os viajantes em todo leste da França. Valence TGV foi construído para e abrir junto com a LGV Méditerranée, que se estende ao sul de Valence para Marselha. A estação fica a apenas 1 km ao sul do final da LGV Rhône-Alpes, que se estende ao norte de Valence para Lyon e, através da LGV Sud-Est, em Paris.

sábado, 20 de julho de 2013

Trem de Alta Velocidade - Trenitalia

Confira a simplicidade do embarque e do desembarque no trem de alta velocidade, um diferencial importantíssimo nos deslocamentos dos passageiros que não perdem tempo com suas malas filas entre outros inconvenientes que existem no embarque aéreo. Os passageiros podem chegar até 15 minutos antes do embarque, já que a validação do ingresso eletrônico é feito por ele próprio.




O trem de alta velocidade pode ficar estacionado para embarque até três minutos, não necessitam de abastecimentos intermináveis como nas aeronaves.
Não utiliza combustível fóssil, utiliza energia elétrica muita mais limpa e segura.


terça-feira, 16 de julho de 2013

Leilão do Trem de Alta Velocidade no Brasil deve ser disputado por sete empresas

Empresas de sete países já demonstraram interesse em participar da construção e operação do Trem de Alta Velocidade (TAV), o trem-bala, que ligará o Rio a Campinas (SP), passando pela capital paulista. Companhias do Japão, Alemanha, Espanha, França, Coreia do Sul, Canadá e Itália compareceram à audiência pública que aconteceu no início do ano na BM&F Bovespa para tirar dúvidas sobre o edital.

A expectativa dos especialistas, no entanto, é de que um número menor de companhias com experiência no setor forme os consórcios e apresente propostas. Entre elas, as francesas Alstom e SNCF (sigla, em francês, para Société Nationale des Chemins de fer Français); a japonesa Mitsui; Bombardier, do Canadá, e a alemã Siemens. 


A Siemens e a Alstom já atuam no Brasil na área de trilhos. A alemã foi responsável pela implantação da linha 4, a amarela, do metrô de São Paulo — a única sem maquinista na América do Sul. A Alstom também acumula experiência na rede metroviária paulista e carioca.

Ainda não se sabe quais delas realmente apresentarão propostas firmes na licitação, prevista para o dia 19 de setembro. Uma das exigências da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) é de que a tecnologia a ser utilizada pelo trem-bala seja certificada e que já esteja em operação antes da assinatura do contrato, previsto para 27 de fevereiro de 2014. A expectativa é que os consórcios apresentem propostas para modelos de trens de alta velocidade, com tecnologia de rodas sobre trilhos.

“Os únicos desafios da licitação aqui seriam mais na parte de pontualidade e do itinerário”, explica o professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) Telmo Porto.

O professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Escola Politécnica da UFRJ Hostílio Ratton destacou que, mesmo com a implantação do TAV tradicional, o Brasil terá de reciclar projetistas, construtores e operadores de ferrovia, com transferência de tecnologia, item obrigatório no edital.

“O Brasil não tem ferrovias para trens rápidos.Então, toda cautela será pouca para não causar um defeito na geometria da via (desnivelamento, desalinhamento, folga ou aperto de bitola, entre outros) ou da roda. Esses defeitos têm seu impacto ampliado com a velocidade”, alertou.

O trem-bala brasileiro

A licitação para construção e operação do TAV brasileiro será realizada em duas etapas. Na primeira fase, prevista para o dia 19 de setembro - mas que pode ser adiada devido às mudanças para aumentar a atratividade do projeto —, será escolhido o consórcio que irá obter a concessão de 40 anos para operar o trem. O ganhador dessa fase terá de fazer investimentos estimados em R$ 8,7 bilhões (valores de 2007 e que ainda precisam ser atualizados) para desenvolver o projeto e comprar o material rodante.

Após a primeira etapa, será definido o modelo para a realização das obras da infraestrutura (pontes, viadutos, túneis e via permanente). O presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, já afirmou que o governo estuda mudar também esta segunda fase, que era a contratação da construção da linha e das estações, para fazer uma concessão, na qual o construtor terá o direito de explorar a parte não operacional das estações e o entorno.

Fonte: Brasil Econômico

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Nova geração de Trens de Alta Velocidade vai entrar em funcionamento na China

Novos trens de alta velocidade vão entrar em funcionamento na China. As máquinas, desenvolvidas pelo grupo CNR Changchun Railway Vehicles são do modelo CRH380CL.

De acordo com informações divulgadas pela empresa, estes novos 16 trens, fabricados exclusivamente pelo país, têm um sistema de controle de rede desenvolvido unicamente pela China.

Além disso, a parte da frente do trem foi inspirada na cabeça de um leopardo, fazendo com que o arrasto aerodinâmico diminua em 12%. A velocidade média desta nova geração de trens é de 350 quilômetros por hora e a máxima pode atingir os 400 quilômetros horários.

Estes trens já terminaram o período de operação experimental de 300 mil quilômetros entre Beijing e Shanghai, que tinha iniciado no dia 25 de janeiro.


Fonte: China Radio International

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Trem de Alta Velocidade - Coreia

A Hyundai Rotem apresentou o novo trem bala elétrico HEMU-430X. A palavra HEMU é a sigla de "Highspeed Electric Multiple Unit", mas, também, a palavra HEMU em coreano quer dizer "auspiciosa neblina do mar".

O HEMU-430X pode atingir a velocidade de 430 km/h em vários trechos dos percursos. O trem HEMU-430X fará a distância de cerca de 329 km (com escalas), entre Seoul e Busan, em apenas 90 minutos.


Na primeira viagem, com a presença de autoridades e jornalistas, o trem cobriu a distância de 28,2 km (na província de Gyeongsang do Sul) com a velocidade de 150 km/h.

O trem HEMU-430X é o sucessor do trem KTX-Sancheon, e representa mais um trem feito inteiramente com tecnologias sul-coreanas.

O HEMU-430X é o quarto mais veloz do mundo, com a velocidade limite de 430 km/h (ficando atrás dos trens mais velozes que estão circulando na França, com 575 km/h; na China, com 486 km/h e no Japão, com 443 km/h).

O HEMU-430X possui um espaço interno aumentado para os passageiros (cerca de 16% maior do que outros trens de alta velocidade). Dessa maneira, o HEMU-430X pode levar até 456 passageiros em cada viagem, com velocidade média de 370 km/h, o que representa um aumento de 70 km/h em relação ao trem anterior (KTX) que circulava pelas mesmas rotas na Coreia do Sul.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...