sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Wuhan-Guangzhou - China

Wuhan e Guangzhou atualmente a linha de alta velocidade mais longa do mundo, as estações contam com o mais alto grau de modernização , sofisticação e maestria no ramo, a maior das duas estações ferroviárias na China, respectivamente, as estações de passageiros são de primeira qualidade, atraindo turistas de todo mundo. Seus trens de alta velocidade ultrapassam os 300 km/h, o plano da China é levar este transporte ao maior número possível de habitantes em seu país gigante.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Trem de Alta Velocidade E5 e E6 - Japão

Nenhum país tem como sinônimo de tecnologia de ponta os trens de alta velocidade do que o Japão, tendo o apelido de "trem-bala", o Shinkansen do Japão são alguns dos mais rápidos do mundo. O E5 e E6, em particular, construído pela Hitachi e Kawasaki, têm velocidades operacionais de cerca de 320 km/h ou mais, o que os torna os trens mais rápidos no Japão.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Conferência LatAm Rail Opportunities 2015 debaterá trem de alta velocidade no Brasil

A ABIFER apoia institucionalmente “LatAm Rail Opportunities 2015 Conference & Expo”. O evento será realizado em 23 e 24 de março, na capital paulista.  A Conferência debaterá o PIL (Plano de Investimento em Logística), o projeto do Trem de Alta Velocidade Rio-São Paulo-Campinas, as novidades tecnológicas da indústria ferroviária e os projetos prioritários para o avanço do sistema ferroviário na América Latina. Fonte: ABIFER 

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Trem de alta velocidade na China e o setor aéreo

A China ama suas linhas ferroviárias de alta velocidade. Agora, o país está ostentando que é ainda mais rápido e mais barato para ir de um lado para o outro, com a "mais longa" linha ferroviária de alta velocidade do mundo, um trecho de 2298 km que chega do norte para o sul através da nação.

Além disso, há um bônus adicional, o preço de US $ 139 para um bilhete para ir a distância citada, é consideravelmente mais barato do que voar, embora possa ainda levar mais tempo do que o transporte aéreo, ainda assim, uma viagem um pouco mais lenta, a um preço muito bom representa uma concorrência real.

Trem de Alta Velocidade Frecciarossa - Itália

A Itália oferece dois concorrentes no serviços ferroviário de alta velocidade o Frecciarossa e a Automotrice à Grande Vitesse o AGV. Os trens já conectam Turim, Milão. A velocidade de operação deste trem é de 300 km/h.

É possível se conectar com outros países através dos trens de alta velocidade, fazendo conexões com a França, Espanha, Inglaterra e demais países da Europa. Fonte: Frecciarossa

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Projeto de trem de alta velocidade pode chegar até 1.000 km/h

Depois de carros elétricos Tesla e foguetes (SpaceX), o bilionário Elon Musk quer testar a viabilidade de seu projeto de trem supersônico através da construção de uma pista de testes no Texas.

O mais recente projeto do bilionário Elon Musk, após a SpaceX e Tesla Motors , agora o megalomaníaco Sul-Africano para alguns, um visionário para outros, pretende lançar um transporte ferroviário de alta velocidade. Chamado Hyperloop, o trem do futuro, é possíve em um futuro próximo. Elon Musk foi sugerido ao anunciar no Twitter sua intenção de construir uma pista de testes para realizar testes de campo iniciais.


Um sistema de trânsito ultra-rápido, chamado "Hyperloop" de transporte de passageiros em tubos de baixa pressão de velocidade quase supersônica. Aqui está o mais recente projeto do inventor e empresário Africano US-Sul Elon Musk. Fonte: Lexpansion.Lexpress.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Shinkansen um ícone do transporte japonês

Nenhuma visita ao Japão seria completa sem uma viagem no Shinkansen, na verdade, o Shinkansen é tão fundamental para a identidade moderna do Japão. No entanto, enquanto os visitantes estão impressionados com o serviço, poucos conseguem obter qualquer informação adicional a partir de seus guias para os trens, a sua história, o seu desempenho e como tudo é alcançado.

Leia sobre algumas de fundo para o shinkansen. Ele vai melhorar a sua experiência de montar este maravilhoso trem. O trem de alta velocidade Shinkansen começou em 1964, em tempo para as Tóquio Jogos Olímpicos. No entanto, a história do Japão com o trem-bala remonta à década de 1930 e além.


Quando o Japão começou a construir estradas de ferro no início do Período Meiji , a decisão foi tomada para usar uma bitola estreita (a distância entre os trilhos), ao invés de usar a bitola padrão. Tem sido sugerido que esta decisão foi tomada mediante parecer do britânico Edmund Morel, baseado em sua experiência de construção de ferrovias em outros países, onde a topografia foi igualmente desafiadora e havia uma percepção de que o país não iria se desenvolver para um nível que requer uma bitola maior (que trazem vantagens em maior capacidade e velocidade).

No momento em que o Japão estava em guerra na década de 1930, Tóquio estava ficando cada vez mais divorciado da linha de frente do seu Império.

A decisão foi tomada para construir uma nova ferrovia de bitola padrão para melhorar o tempo de viagem entre a capital e, inicialmente, a segunda maior cidade, Osaka , mas, eventualmente, entre a capital e extremo oeste do Japão, que, assim, encurtar a viagem entre Tóquio e Coréia .


terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Planejamento de linha de trem de alta velocidade norte-sul da China

Especialistas ferroviários chineses começaram as conversações sobre a construção de uma ferrovia de alta velocidade que ligaria Mongólia Interior, no norte de Hainan, no sul. De acordo com o Shaanxi Desenvolvimento e Reforma da Comissão, a linha proposta irá operar a uma velocidade de 350 km/h.

Começando na cidade de Baotou da Mongólia Interior através sul de Shaanxi, Hubei, Hunan, Guangxi e Guangdong, sua parada final seria na cidade de Haikou em Hainan Island, mais ao sul da província de China.


Embora a extensão exata do percurso proposto não foi liberado, ele provavelmente vai se tornar a linha mais longa do mundo em trem de alta velocidade, quebrando um recorde já detida pela China, como a viagem por estrada entre Baotou e Haikou é aproximadamente 3.000 km.

Atualmente, a linha ferroviária de alta velocidade mais longa do mundo é de quase 2.300 km, que vai de Pequim para a metrópole do sul de Guangzhou. Fonte: CNN


sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

EUA começam hoje a construir sua primeira linha de Trem de Alta Velocidade

A Califórnia é o estado mais populoso dos Estados Unidos e também aquele com a maior economia - se fosse um país, ficaria logo atrás do Brasil no ranking mundial.

O estado agora será cenário para a primeira linha de trem de alta velocidade do país, que começa a ser construída hoje na futura estação da cidade de Fresno, em cerimônia transmitida ao vivo pela internet.

  

A primeira fase, a ser concluída em um longínquo 2029, vai de Los Angeles a São Francisco, hoje a a rota aérea de pequena distância mais movimentada (e com mais atrasos) do país.

A viagem deve durar cerca de 3 horas a velocidades que chegam a 320 km/h, quase 100 km/h mais rápido que o Acela. O preço da passagem ainda é desconhecido, mas uma projeção aponta para uma "média de 83% da tarifa atual da viagem de ida de US$ 97".

O valor total do projeto é de cerca de US$ 68 bilhões - pouco mais da metade proveniente de fundos federais, com o resto vindo do capital privado e de títulos do estado.

Eventualmente, o plano é conectar com 24 estações os mais de 1.200 quilômetros entre as cidades de Sacramento e San Diego, além de modernizar as linhas já existentes (veja o mapa).

O dinheiro não está totalmente garantido, nem todas as terras necessárias. Desde que foi proposto pela primeira vez, nos anos 80, pelo atual governador, Jerry Brown, o projeto é criticado por seu alto custo e por todo tipo de incerteza.

Seus defensores lembram que a população do estado não para de crescer e que o congestionamento nas estradas consome US$ 18,7 bilhões da economia por ano. O custo de construir novos aeroportos e rodovias para atender à demanda crescente sairia ainda mais caro do que o trem-bala.

Isso sem falar nos benefícios ambientais de diminuir a emissão de gases estufa, nos 66 mil empregos diretos criados anualmente pelos próximos 15 anos e nos ganhos de eficiência com a melhora na conexão entre duas das maiores e mais ricas cidades do país.

A China, por exemplo, construiu só na última década cerca de 12 mil quilômetros em linhas de trem-bala, mais do que todo o resto do mundo somado. O plano é dobrar este número até 2020 e continuar exportando e financiando essa tecnologia para projetos em outros países.

No Brasil, o projeto de trem-bala entre São Paulo e Rio de Janeiro está vivo no papel, mas não há nenhum indício de que será concretizado. Fonte: Portal Exame

EPL retoma estudos para a construção do Trem de Alta Velocidade - Brasil

A Empresa de Planejamento e Logística (EPL) retomou discretamente os estudos para a construção do trem de alta velocidade. O projeto de ligação ferroviária entre Rio, São Paulo e Campinas havia praticamente desaparecido desde que a presidente Dilma Rousseff decidiu suspender, em cima da hora, o leilão marcado para agosto de 2013. Era terceira tentativa fracassada de licitação. 


Como os estudos ficaram desatualizados, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou uma revisão geral dos números considerados no projeto, caso o governo tenha a intenção de tirá-lo novamente da gaveta. A EPL, presidida pelo engenheiro Josias Cavalcante, já tem quase prontos os termos de um edital para contratar estudos que vão trazer novas estimativas de demanda de passageiros e reavaliar o traçado do TAV. Para isso, haverá a necessidade de um intenso trabalho de campo, como a realização de sondagens geológicas.

Antes de lançar uma concorrência pública, no entanto, a estatal aguarda uma decisão política do governo sobre a continuidade do projeto. O que se quer é evitar toda a novela em torno dos preparativos de uma megaconcessão e nova desistência no fim do processo.

Da última vez, Dilma optou por adiar indefinidamente o leilão, apesar de pelo menos um consórcio internacional ter garantido a apresentação de uma proposta: os franceses da Alstom e da SNCF. Os consórcios da Espanha e da Alemanha confirmaram interesse, mas pediram mais prazo para a elaboração de suas ofertas. Em meio às denúncias de um cartel nas obras de metrôs, o governo decidiu não fazer a licitação com apenas um concorrente.

Agora, porém, o trem de alta velocidade tem apoio bem mais limitado na Esplanada dos Ministérios. O maior entusiasta do projeto era o economista Bernardo Figueiredo, que deixou a EPL. Quem também defendia o projeto era o ex-ministro dos Transportes, Paulo Passos, que saiu do governo. Outros setores têm visão mais crítica do empreendimento.

Na época do adiamento, cogitou-se a possibilidade de aproveitar para fazer avanços no projeto executivo do trem-bala e no licenciamento ambiental, mas quase nada andou desde então. De volta à estaca zero, o projeto terá novas estimativas sobre a demanda de passageiros em relação às preparadas pela consultoria britânica Halcrow em 2009. O projeto atual prevê oito estações: aeroporto de Viracopos, Campinas, São Paulo, aeroporto de Guarulhos, São José dos Campos, Volta Redonda-Resende, aeroporto do Galeão e Rio de Janeiro. Fonte: Valor Econômico 

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Trem de Alta Velocidade da Arábia Saudita - AVE dos Peregrinos

O primeiro trem de alta velocidade da Arábia Saudita, conhecido como ‘AVE dos Peregrinos’, saiu de Barcelona em um navio especial com destino a Jeddah, no Oriente Médio, onde vai iniciar os primeiros testes para operar comercialmente a partir de dezembro de 2016, entre as cidades de Meca e Medina, numa distância de 430 quilômetros.

Os trens devem transportar cerca de 20 mil peregrinos por dia, a uma velocidade de até 300 quilômetros por hora. 


O trem embarcado na Espanha tem 13 vagões fabricados pela Talgo, em Madri, e duas locomotivas produzidas na fábrica de Rivabellosa, em Álava.

Os trens viajaram em caminhões especiais até o porto de Barcelona, de onde embarcaram para a Arábia Saudita.

O diretor de produção da Talgo, Roberto Martínez, explicou que o trem conhecido como ‘bico de pato’ é um Talgo 350, com mais de 30 modificações no projeto original e adaptação para circular no deserto.

As soltas foram reforçadas para impedir a entrada de areia. Também foi necessário reforçar o isolamento térmico e os sistemas de ar condicionado, já que a temperatura média no deserto chega a 55 graus centígrados.

O projeto teve custo estimado de 6,6 bilhões de euros no início do plano, em 2011.

No total serão 35 trens comerciais e um especial denominado trem VIP, de luxo, destinado à família real saudita. O trem real transporta até 60 passageiros, enquanto que as demais composições levam 417. Fonte: O Estado de S. Paulo Publicada em:12/12/2014


segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

México reinicia licitação para projeto do trem de alta velocidade

O Ministério dos Transportes e Telecomunicações do México divulgou ontem (4) que vai reiniciar no dia 14 deste mês a licitação para o projeto de trem-bala entre a Cidade do México e o Estado de Querétaro.

Segundo a pasta, para uma empresa vencer a licitação tem que ter a capacidade de garantir a operação e segurança da obra, e deverá ser responsável ainda pela manutenção de cinco anos durante a operação experimental.


O ministério vai divulgar os detalhes sobre a concorrência no próprio dia 14 deste mês e o prazo para a licitação será de 180 dias.

O trem-bala entre a Cidade do México e o Estado de Querétaro terá uma distância de 210 quilômetros e a velocidade máxima desta linha será de 300 km/h. Este será o maior projeto de infraestrutura na história do México. O valor da obra chegará a US$440 bilhões.

No ano passado, um consórcio liderado pela China Railway Construction venceu a licitação, mas o país cancelou o resultado e decidiu a reiniciar o processo de concorrência para a obra, o que provocou grande dúvida no país. Tradução: Guo Hao Revisão: Luiz Tasso Neto Fonte: CRI On Line

sábado, 3 de janeiro de 2015

AGV Altíssima Velocidade - Alstom

O AGV, automotriz de grande velocidade em português, é o primeiro trem de altíssima velocidade inteiramente projetado para um mercado internacional, tendo plenamente em conta as preocupações ambientais. Ele pode ser operado a uma velocidade de até 360 km/h em total segurança.

O AGV é um trem mais econômico que seus antecessores TGV's, em termos de consumo de energia e custos de manutenção. Desenvolvido para operações internacionais em alta velocidade, o AGV foi projetado desde o início para o pleno cumprimento da ETI, Especificações Técnicas de Interoperabilidade. Fonte: Alstom

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Alta Velocidade -Thalys

Thalys é membro da Railteam, a cooperação entre os principais operadores ferroviários europeus de alta velocidade, CER Community of European Railway e Empresas Infrastucture) e UIC União Internacional dos Caminhos de Ferro.

Desde 1996, a Thalys é uma empresa que conseguiu a aposta de alta velocidade ferroviária internacional em quatro países. Este sucesso teve como resultado mais de 100 milhões de passageiros transportados. A partir de 2008, a introdução de WiFi a bordo em 2009, a introdução do sistema de nova gestão ERTMS.

O capital da Thalys International está dividido em 62% pela SNCF, 28% pela SNCB e 10% na posse da DB. A Thalys International oferece serviço comercial ferroviário de passageiros para a SNCB e a SNCF para os seguintes destinos: Paris, Bruxelas, Amsterdã, Colônia. Fonte: Thalys

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...