domingo, 24 de março de 2013

Alstom, Bombardier e Mitsui demonstram interesse em desenvolver o Trem Bala no Brasil

A francesa Alstom, a canadense Bombardier, a Japonesa Mitsu entre as Espanholas e Coreanas estão no páreo para a concretização do projeto do trem de alta velocidade no Brasil o TAV Brasil.

A transferência de tecnologia será necessária por exigência de contrato. Após a definição do leilão da primeira fase para a construção do trem de alta velocidade (TAV), definida para maio de 2013, e do anúncio do investimento de R$ 133 bilhões para o Programa de Investimentos em Logística para Rodovias e Ferrovias feito pela presidente Dilma Rousseff no dia 15 de agosto, os ânimos em relação ao desenvolvimento da tecnologia ferroviária se aqueceram no País e despertaram o interesse de empresas do exterior.


Além das quatro empresas - Mitsui (Japão), Alstom (França), Bombardier (Canadá) e CAF (Espanha) - que demonstraram interesse em participar das obras e de fornecer tecnologia para o TAV, Abate comenta que outros atores internacionais podem se candidatar para a licitação, desde que detenham a tecnologia necessária, experiência comprovada na área e um histórico sem acidentes. Com esse perfil, há empresas vindas da Austrália, Áustria, China, Coreia do Sul, Polônia, Estados Unidos e da própria anfitriã do evento, a Alemanha.

History Channel