quarta-feira, 24 de maio de 2017

Dicas para viagem de trem na Europa

Viajar pela Europa é o sonho de muitos mochileiros e a ideia de cruzar o Velho Continente de trem desperta paixões ainda maiores. Afinal, como resistir à romântica ideia de apreciar as lindas paisagens pelo caminho enquanto viaja em um confortável (luxuoso?) vagão de um trem de alta velocidade. Mas será que vale mesmo a pena viajar de trem na Europa? E como funciona? A seguir, a gente explica as principais dúvidas que os viajantes costumam ter.


Quando viajar de trem e quando optar por avião?

É indiscutível que o trem seja o meio mais rápido de chegar a qualquer lugar, desde que esse destino esteja a até 4 horas de distância. Mesmo um voo que oficialmente dure uma hora, por exemplo, acaba resultando em outras várias horas adicionais, por conta de trâmites de check-in, imigração, recolhimento de malas e deslocamento até o centro das cidades.

Só quando se trata de cobrir grandes distâncias, o avião supera o trem, já que viajar dez horas num trem pode ser, quase sempre, encurtado significativamente quando voando.
Vale mais a pena comprar um passe ou bilhetes avulsos?

Passes multipaíses costumam valer mais a pena quando envolvem longos deslocamentos. Geralmente é mais vantajoso comprar com antecedência trechos ponto a ponto diretamente nos sites das companhias europeias, quando ainda há preços com descontos disponíveis.

Já para compras de última hora, os passes podem valer mais. Outra vantagem é poder mudar o itinerário ao bel prazer. Já uma desvantagem notória é ter que fazer as reservas de assentos em trens de alta velocidade ou internacionais. Fonte: Embarque na Viagem