domingo, 2 de julho de 2017

Renfe disposta a criar uma sociedade conjunta com a CP em viagens internacionais

A Renfe está "aberta" a criar com a Comboios de Portugal (CP) uma sociedade conjunta para operar viagens entre ambos os países similares à qual já tem com a francesa SNCF, segundo afirma Manuel Queiró, ex-presidente da companhia portuguesa.


Queiró, que deixou o cargo há uma semana, sustenta numa entrevista publicada hoje pelo Expresso que lançou a proposta a responsáveis da Renfe numa das reuniões preparatórias da Cimeira Ibérica, que se realizou no final de maio em Vila Real.

A mensagem de Queiró foi que, num prazo de três anos, a CP estaria preparada para entrar na Espanha operando em vários destinos, pelo que propôs à Renfe a possibilidade de criar uma parceria para não se transformarem em concorrentes diretos.

"Olharam uns para os outros, porque não estariam à espera que os portugueses avançassem assim, e decidiram que o diretor-geral da Renfe se iria deslocar a Lisboa para discutir o assunto com a CP. Na mesma semana, vieram a Lisboa e aceitaram o princípio de que iriam colaborar", conta o ex-presidente.

Isto "significa que a Renfe está aberta a uma sociedade CP-Renfe para realizar trajetos Lisboa-Madrid, Lisboa-Barcelona, Coimbra-Salamanca, Lisboa-Sevilha e Lisboa-Corunha", acrescentou.

Atualmente há dois trajetos operacionais (Porto-Vigo e Lisboa-Madrid) que "resultam de acordos pontuais" que CP é partidária de mudar -disse Queiró- com uma moderna rede de comboios com vários destinos na península ibérica.

Nesse cenário, sustenta, "os espanhóis preferem fazer uma sociedade mista da mesma forma que fizeram com a SNFC", algo que também beneficia os portugueses, pois evitariam assim a concorrência que a Renfe poderia fazer em Portugal a partir de 2020.

Esse ano será liberalizado o serviço de passageiros no pais, e com comboios que em alguns casos superam os 50 anos, a CP sabe que um acordo com a Renfe poderia ser a solução para não serem prejudicados. Fonte: EFE/Luis Tejido