sábado, 11 de agosto de 2018

Renfe cria AVE ‘low cost’ entre Madrid e Barcelona

Recentemente, a Espanha celebrou os 10 anos do muito bem sucedido AVE (trem de alta velocidade) que liga Barcelona a Madri em 2h30. Seria apenas uma noticia qualquer se não viesse acompanhada de uma ótima notícia: a partir do primeiro trimestre de 2019, o novo EVA fará o mesmo trajeto com tarifas 25% mais suaves e algumas frescuras a menos. Em outras palavras, o amado AVE terá uma versão low-cost.

 
Em uma década de funcionamento, os vagões ultramodernos da marca Siemens transportaram mais de 35 milhões de passageiros e fizeram minguar a ponte aérea entre as duas maiores cidades do país. Atualmente, 60% dos viajantes opta pelos trilhos na hora de ir da capital espanhola à metrópole catalã e vice-versa. Os motivos? Indo de trem, você elimina o perrengue dos controles de segurança (cada vez mais chatos) dos aeroportos; sai do centro e chega no centro; viaja em uma poltrona muito mais espaçosa e vai vendo a paisagem. Ainda que um voo de Madri a Barcelona dure apenas 50 minutos, somados os deslocamentos e o drama aeroportuário, a viagem acaba demandando pelo menos 4 horas (contra 2h30 de trem). Fonte: Viagem

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Trem KTX alcançou 421,4 km/h - Coreia do Sul

A velocidade máxima para trens em serviço regular é atualmente 305 km/h, embora a infraestrutura é projetada para 350 km/h. O material rodante inicial foi baseado em Alstom TGV Réseau, foi parcialmente construído na Coréia. O mercado interno desenvolveu o HSR-350x que alcançou 352,4 km/h em testes, resultou em um segundo tipo de trens de alta velocidade agora operada pela Korail, o KTX Sancheon. 



A próxima geração KTX, Hemu-430x, alcançou 421,4 km/h em 2013, fazendo a Coréia do Sul o quarto país do mundo, após o Japão, França e China a desenvolver um trem de alta velocidade em execução no sistema ferroviário acima 420 km/h. Fonte: Konrail

AGV Altíssima Velocidade - Alstom

O AGV, automotriz de grande velocidade em português, é o primeiro trem de altíssima velocidade inteiramente projetado para um mercado internacional, tendo plenamente em conta as preocupações ambientais. Ele pode ser operado a uma velocidade de até 360 km/h com total segurança.

O AGV é um trem mais econômico que seus antecessores TGV's, em termos de consumo de energia e custos de manutenção. Desenvolvido para operações internacionais em alta velocidade, o AGV foi projetado desde o início para o pleno cumprimento da ETI, Especificações Técnicas de Interoperabilidade. Fonte: Alstom

domingo, 29 de julho de 2018

Avelia Horizon - Próxima geração de TGV's - Encomenda de 100 Trens

O Conselho de Administração da SNCF Mobilités aprovou um pedido para 100 trens de alta velocidade Avelia Horizon,  próxima geração de TGV.


Esta nova geração de trens de altíssima velocidade, atende a metas ambiciosas em termos de competitividade do setor ferroviário e rentabilidade para a SNCF, com um custo total de aquisição 20% inferior ao da geração anterior. As equipes de especialistas que trabalham neste projeto há dois anos enfrentaram o desafio de especificar um novo trem a um custo reduzido de € 25 milhões por conjunto de trens, com um orçamento adicional de € 190 milhões para opções e serviços.

O Avelia Horizon será composta por dois carros inovadores de potência de comprimento reduzido, combinando alto desempenho e compacto, carros de passageiros articulados de dois andares. Seu design permite um aumento de 20% nas áreas dedicadas ao passageiro, permitindo que o trem acomode até 740 passageiros na configuração de maior capacidade escolhida pela SNCF.

Os custos de manutenção serão mais de 30% inferiores aos atualmente registrados pela SNCF. A manutenção do trem é levada em conta desde a fase de projeto, com um sistema de diagnóstico remoto para manutenção preditiva, que melhora a confiabilidade e a disponibilidade dos trens. Muitos dos componentes têm um design otimizado para simplificar, reduzir e permitir intervalos maiores entre as intervenções de manutenção. Graças ao seu design aerodinâmico e um acionamento de tração mais eficiente, o TGV de próxima geração consumirá 20% menos energia do que os TGVs existentes. Fonte: Alstom



sábado, 28 de julho de 2018

Tecnologia sem fio em reboques e manobras

Limite suas emissões, aproveite a eficiência com novos padrões na tecnologia de reboques. Sem emissões, operação em qualquer zona de trabalho graças à unidade elétrica, equipamento patenteado de orientação ferroviária. 

Use o Zagro E-Maxi para realizar trabalhos de derivação na ferrovia, operações, transporte público e serviços industriais em trechos de trilhos abertos ou cobertos e de nível uniforme. O motor ferroviário foi projetado para operação combinada com baterias, significa operação livre de emissão CO2 nos trilhos. Fonte: Zargo



Ranking dos trens de alta velocidade mais rápidos do mundo

Nosso ranking dos trens de alta velocidade mais rápidos do mundo mostra que os países da Ásia são líderes mundiais junto com os Europeu em trens de alta velocidade. Os recordes de velocidade dos trens mais rápidos do mundo em testes e em operação. O trem SCMaglev no Japão tem uma velocidade máxima de 603 km / h (375 mph). O trem TGV de alta velocidade da SNCF na França tem uma velocidade máxima de 575 km / h (357 mph). O trem Shanghai MagLev na China tem uma velocidade máxima de 501 km / h (311 mph).

As redes ferroviárias de alta velocidade podem ser um fenômeno relativamente novo, mas para 20 países do mundo já formam a espinha dorsal da rede de transporte. Embora introduzido pela primeira vez no Japão, o trem de alta velocidade foi verdadeiramente estabelecido na Europa durante os anos 80 e 90. Recentemente, os avanços tecnológicos levaram os países asiáticos a subir na hierarquia em relação à população atendida pela rede de alta velocidade, preço por quilômetro, bem como pelas velocidades operacional e máxima, consolidando o Japão no primeiro lugar. Fonte: Goeuro

O Alfa Pendular de Portugal atinge 220 km / h em operação com passageiros

O serviço Alfa Pendular é efetuado pelas automotoras elétricas da Série 4000, (de 6 carruagens) também conhecidas como CPAs (Comboio de Pendulção Ativa) ou, simplesmente, pendulares. Fabricadas pela Fiat Ferroviária (adquirida pela Alstom em 2000) e montadas nas instalações da antiga Sorefame, na Amadora, estas automotoras são baseadas no modelo italiano ETR 460 (também da Fiat Ferroviária), da família Pendolino. Estes comboios têm capacidade para transportar cerca de 300 pessoas (96 em classe conforto e 204 classe turística). As suas principais características técnicas são a potência de 4,0 MW, a velocidade máxima permitida de 220 km/h e o sistema de pendulação ativa que lhe permite fazer curvas a velocidades mais elevadas que os comboios convencionais. O serviço Alfa Pendular é efetuado pelas automotoras elétricas da Série 4000, (de 6 carruagens) também conhecidas como CPAs (Comboio de Pendulação Ativa) ou, simplesmente pendulares. 

Em 2017 iniciou-se o restauro de meia vida às automotoras da Série 4000 da CP, do Alfa Pendular, nas oficinas da EMEF. Do ponto de vista do passageiro, o comboio tem um novo bar e novos WC, novos interiores em todas as classes, e uma nova pintura exterior. A rede Wi-Fi está mais rápida, e agora todos os bancos têm tomadas elétricas individuais. Fonte: CP