quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Trens Azuma Hitachi - Reino Unido

Com aceleração rápida, tempo mais curto de viagens e melhor conforto, os novos e altamente avançados trens Azuma da Hitachi irão servir a Costa Leste do Reino Unido a partir de 2018. Os 65 trens fornecerão 12.200 lugares a mais, e com um cronograma expandido, aumentarão a capacidade na Estação de King's Cross, em Londres, em 28% durante os horários de pico. Eles serão operados pela Virgin Trains e serão chamados de Virgin Azuma. Literalmente traduzido como "Leste", em japonês, os Azuma são trens interurbanos expressos de ultima geração que transformarão as viagens ferroviárias de passageiros entre Londres, o nordeste da Inglaterra e a Escócia. Entre os diversos benefícios dos trens estão emissões mais baixas, serviços mais diretos, maior conforto, WiFi rápido e gratuito, e claro, tempo de viagem mais curto.


Os trens Azuma estão sendo construídos na fábrica de veículos ferroviários da Hitachi em Newton Aycliffe, condado de Durham, na Inglaterra. A Hitachi tem uma longa história na produção de trens de alta qualidade, começando pelo Trem Bala do Japão em 1964. De acordo com Karen Boswell, Diretora Administrativa da Hitachi Rail Europe, os trens Azuma transformarão a experiência de viagem de dezenas de milhares de pessoas. Boswell declarou: "Estamos duplamente orgulhosos que estes novos trens para a Costa Leste estão sendo construídos aqui no Reino Unido, criando aproximadamente 730 novos empregos de longo prazo, carreiras em engenharia e estágios." Os novos trens chegarão à velocidade de 125 mph em aproximadamente 4 minutos e 40 segundos, em comparação ao tempo atual de aproximadamente 5 minutos e 40 segundos (em trens movidos à eletricidade). Os trens Azuma também facilitarão a viagem dos passageiros através do sistema de reserva de assentos estilo semáforo: a luz vermelha indica assento reservado, amarelo significa que o assento está reservado em algum ponto da viagem, e a luz verde indica que o assento está livre até o destino final do trem. Fonte: Hitachi

sábado, 7 de dezembro de 2019

Cabine da Automotriz de Grande Velocidade - AGV Alstom

O AGV é o trem de altíssima velocidade mais econômico do mercado em termos de custos de consumo de energia e manutenção. O AGV é o primeiro trem de altíssima velocidade da gama Avelia a ser totalmente projetado para um mercado internacional, embora tendo plenamente em conta as preocupações ambientais. Pode ser operado em velocidades de até 360 km/h em total segurança.

O AGV combina a filosofia de design bem estabelecida do TGV e 30 anos de experiência tecnológica em ferrovia de alta velocidade com a inovação, composições articuladas, energia distribuída, motores de ímã permanente, frenagem eletrodinâmica com recuperação de energia.



  


quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Trens mais rápidos do mundo - Operação a 350 km/h

Todos os dias, os trens G17 e G39 da China partem da estação de Pequim e chegam a Nanjing depois de atingir velocidades máximas de até 350 quilômetros por hora. Embora possam não estar cientes disso, os passageiros que usam esses trens estão experimentando os serviços ferroviários programados mais rápidos do mundo, de acordo com a Railway Gazette International.


O World Speed ​​Survey, revista que classifica as velocidades médias dos serviços programados que estavam em operação entre maio e junho de 2019. Incluem-se trens que circulam de segunda a sexta-feira e têm em média mais de 160 km por hora entre diferentes estações.

Os trens mais rápidos do mundo cobrem os 1.021 km entre a capital da China e Nanjing, mais ao sul, a uma média de 317,7 km/h, completando a viagem em apenas 3 horas e 13 minutos.

Mas a busca da China por viagens ferroviárias de alta velocidade não para por aí. Vários outros serviços romperam a barreira dos 300 km/h - o segundo mais rápido do país registra velocidades semelhantes à rota Pequim-Nanjing. Fonte: Reuters


quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Necessidade de Alta Velocidade

Em vez de voar para Nova York para a cúpula das Nações Unidas sobre Ação Climática, em setembro, a ativista climática sueca Greta Thunberg cruzou o Atlântico a bordo de um barco de emissões zero.

Essa decisão preocupada com o clima transformou o que seria uma viagem de oito horas de Londres em uma jornada de duas semanas - mas um sistema de transporte recentemente proposto poderia reduzir o custo climático de viagens de longa distância sem sacrificar a velocidade.


Alguém estabeleceu uma rota para o AeroSlider que se estenderia da África à Europa e à Ásia. Mas agora, essa rota e tudo o mais sobre o AeroSlider.

Ainda assim, o designer-chefe Guillermo Callau está esperançoso de que o trem elevado faça as pessoas pensarem em alternativas futuras para o voo.

"Você pegaria algo um pouco mais lento que um voo, mas seria imensamente mais eficiente", disse Callau à Fast Company . “Isso não é apenas ser otimista. É necessário. Tarifas de CO2, ou impostos sobre CO2, tornarão os voos muito mais inacessíveis. ”  Fonte: Futurism



terça-feira, 26 de novembro de 2019

Renfe Velaro atingiu a velocidade de 403,7 km/h

Em 24 de Março de 2001, a Siemens ganhou metade da licitação da RENFE para fornecer 32 trens de alta velocidade para a linha ferroviária de alta velocidade Madrid - Barcelona, ​​oferecendo uma versão modificada do ICE 3 utilizado pela Deutsche Bahn para o seu serviço InterCity Express. As mudanças envolveram uma taxa de aumento para maior potência (8,800 kW ou 11,800 hp) para aceleração mais alta e velocidade máxima para cobrir os 651 km entre Barcelona e Madrid em 2h:30h, a capacidade de operar em uma gama de altas temperaturas e um interior diferente. 


A Classe AVE 103 foi certificada para funcionar a 350 km. Durante os testes entre Madrid e Saragoça, em 16 de Julho de 2006, o trem 005 atingiu 403,7 km/h em testes e ensaios. Este é o recorde nacional atual da dos trens de alta velocidade  na Espanha e também o registro atual de velocidade para um trem normal da série na configuração padrão.

Em 23 de Dezembro de 2005, a RENFE encomendou mais 10 trens idênticos (denominação Siemens Velaro E2). Atualmente, todos os 26 trens de ambos os pedidos na época foram entregues e estão em serviço. Fonte: Renfe


quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Trem de alta velocidade autônomo com robôs nas estações

Os trens de alta velocidade Pequim-Zhangjiakou conseguiram quebrar o recorde de velocidade das locomotivas em aproximadamente 374 km/h. A velocidade é 10% maior que os modelos anteriores. O trem deve conectar a capital da China, Pequim, e seu vizinho próximo ao noroeste, a cidade de Zhangjiakou, às vezes chamada Kalgan. A ferrovia se estenderá um pouco mais de 108 milhas entre as cidades, a última das quais tem o apelido de "Porta do Norte de Pequim". O percurso poderá reduzir a viagem de três horas para uma.


A China Railway (CR), espera que a linha seja a primeira ferrovia autônoma do mundo, monitorada pelo maquinista. As equipes de RC começaram a depurar o software que será executado nas estações e o monitoramento de dados em tempo real teve um bom desempenho até agora.

A ferrovia faz parte de um plano maior de CR para quase 3.000 milhas de novos trens de alta velocidade em 2019. Lu Dongfu, gerente geral da CR, disse à imprensa estatal que os trens de alta velocidade no país em breve excederão os 30.000 km de extensão. Esse crescimento, especialmente conectado a Pequim, faz parte do planejamento do país para os próximos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 .A CR diz que toda a linha será pontilhada com subestações baseadas em IA que monitorarão o status do trem e verificarão continuamente se há defeitos. A tecnologia também acontecerá na jornada do passageiro, com robôs guiando os passageiros em direção aos trens nas estações e até ajudando-os com a bagagem.

A China está de olho em trens cada vez mais rápidos. No início deste ano, a CR anunciou que estava construindo um protótipo que poderia chegar a 600 km/h. Mais rápido que um avião em suas rotas, a CR também espera que o protótipo funcione até 2021. Durante as Olimpíadas, a China quer que os turistas vejam fora da capital também, e sua expansão ferroviária pode tornar isso mais fácil do que nunca. Fonte: Popular Mechanics